quarta-feira, 17 de junho de 2009

DESPENTEADA

Minha mãe e minha irmã sempre dizem que eu estou descabelada.
Mas a culpa não é minha ... Meu cabelo nunca foi lisinho, eu não tive a sorte de herdar os gens recessivos da familia.
E isso me incomodava até um tempo atrás. Depois comecei a ver o outro lado da coisa.
O que é gostoso, engorda. Se não fosse assim, eu ganharia milhões abrindo um rodízio de saladas ! O que é lindo, custa caro. Conhece alguma mulher rica feia ?
E o que é realmente bom dessa vida, despenteia…

- Fazer amor, despenteia.
- Rir até a barriga doer, despenteia.
- Viajar de janela aberta, despenteia
- Voar de balão, despenteia
- Correr até não sentir mais as pernas, despenteia
- Se jogar no mar, despenteia
- Tirar a roupa, despenteia
- Beijo de novela, despenteia
- Brincar, despenteia
- Cantar até ficar rouca, despenteia
- Gritar até ficar sem ar, despenteia
- Dançar até se arrepender de ter colocado aqueles saltos gigantes essa noite, despenteia
- Encher a cara de cerveja, despenteia

E pensa bem: sempre vai estar mais despenteada a mulher que decide ir no primeiro carrinho da montanha russa, que aquela que decide não subir.
Entendeu ? Vou me arriscar, deixar a vida me descabelar sem medo !

E se elas falarem de novo que estou despenteada, eu respondo:

- SOU DESCABELADA, MAS SOU FELIZ !!!

2 comentários:

J.R disse...

Belo modo de pensar.

Luciana Santos Silva disse...

ADOREI!!!!!!!!!!!!!!